Clio Engenharia e Construção | Curitiba, Paraná

30 de outubro de 2017

Os tipos de massa corrida aplicadas na construção

Sabe aquela obra ou cômodo que você analisa e não consegue encontrar nenhum defeito? Está perfeita! Pois é, quando uma construção chega a esse ponto, você pode estar certo de que ela foi trabalhada nos mínimos detalhes.

Entenda que, embora um edifício seja algo robusto, ele sempre vai precisar de um cuidado minucioso no acabamento, para que o resultado final seja um conjunto de qualidade. E no caso do acabamento das superfícies internas e externas, a massa corrida é o produto indicado.

Hoje falaremos sobre os principais tipos de massa corrida e onde você deve usar cada um deles. Confira a seguir.

Na hora de construir ou reformar em Curitiba conte com a Clio Engenharia!

branca

Acrílica

Esse é um dos tipos de massa corrida mais resistentes às intempéries e, por isso, é indicada para as superfícies externas. Por esse motivo, ela também é um pouco mais difícil de trabalhar e lixar, mas o resultado final vale o esforço. A sua principal função é assentar, rebocar e revestir tetos e paredes.

PVA

Ao contrário da massa acrílica, a PVA é muito mais fácil de lixar e também serve para assentar, rebocar e revestir os tetos e paredes. É muito utilizada em superfícies internas, com bases de alvenaria, concreto, gesso ou fibrocimento.

Não resiste bem à umidade externa. A aplicação é simples e sua massa possui uma secagem rápida, que acontece em aproximadamente 4 horas. Promete cobrir facilmente todo tipo de imperfeição, para deixar as paredes lisinhas e niveladas.

Plástica

A massa corrida plástica é uma massa com característica de cola, servindo portanto para a colagem de equipamentos hidrossanitários, como pias e vasos. Também é indicada para a correção de imperfeições em caixas d’água e materiais como o granito.

massacorrida2

Multiuso

É uma massa um pouco mais cara, pela praticidade e rapidez de sua aplicação. Uma massa corrida multiuso é aquela que permite ao profissional pular algumas etapas do processo de acabamento e pode ser utilizada no lugar da massa corrida comum. Sua principal função é assentar, rebocar e revestir tetos e paredes.

Massa para madeira

O seu uso é específico para as superfícies de madeira, tanto internas quanto externas. Para melhor se adaptar, algumas dessas massas corridas contam com uma gama de cores, que são baseadas em espécies diferentes de madeira.

Quando aplicada, tem a capacidade de nivelar qualquer superfície da madeira e corrigir possíveis imperfeições comuns a esse tipo de material, como bolhas e furos.

Massa para calafetar

A massa para calafetar é indicada para o preenchimento de danos mais visíveis e profundos, como buracos, frestas e outras erosões. Possui boa plasticidade, não escorre e nem fica quebradiça, o que é um ponto positivo.

Adere bem em materiais como vidro, plástico e metais, mas deve ser evitado em superfícies à base de silicone e polietileno.

massacorrida3

Cuidados com a aplicação das massas

Para a aplicação de qualquer tipo de massa corrida, é fundamental que a superfície esteja limpa e livre de qualquer partícula que possa se soltar e atrapalhar o trabalho, comprometendo o acabamento.

Na hora de aplicar os diferentes tipos de massa corrida, tanto o mofo quanto as sujeiras devem ser removidos, para se alcançar um resultado de qualidade e facilitar a pintura das superfícies. E se for necessário armazenar esses produtos, procure por ambientes frescos, cobertos e livres das fontes de calor.

E você, já conhecia esses tipos de massa corrida?

Seja qual for a sua escolha, conte com a Clio Engenharia na hora de construir ou reformar!